Chris Curveball e a bomba loira

Ann Coultist brinca com seu cabelo no programa de TV de Chris Curveball.

A seguir está a transcrição da entrevista televisionada de Chris Curveball na noite passada com Ann Coulter, realizada diante de um grupo de estudantes do ensino médio.

CHRIS: Estamos aqui para falar sobre o novo livro da comentarista de direita Ann Coulter, mas primeiro, Ann, temos uma mulher na linha que quer te perguntar uma coisa.

ANN (usa os dedos para pentear o cabelo loiro comprido): Direita! Isso é um novo.



TELEFONE: Olá, Ana? Estou ligando para perguntar por que você foi tão malvado com minha mãe.

ANN (passa os dedos pelos cabelos): Acho que sua mãe não tem nome?

CHAMADA: Mildred Quaker. E você disse que ela era má e feia, mas você nunca a conheceu, porque ela morreu anos atrás.

ANN (joga o cabelo loiro para trás): Acontece que eu sei disso, querida, porque tropecei na lápide dela em um cemitério e fiquei com manchas de grama por todo o corpo. Isso foi minha culpa? Quando esses quacres insistem em ser pacifistas que podem ser enterrados onde quiserem?

CHAMADA: Não somos Quakers. Somos SDA.

ANN (sacudindo o cabelo): FDA? Eles estão inspecionando cemitérios agora? Os comunistas chineses estão transformando nossos cadáveres em pasta de dente.

CHAMADA: Não, SDA significa Adventista do Sétimo Dia.

ANN (tranças de cabelo): Vegetarianos. Chega de dizer.

CHRIS: Então o que você quer perguntar a Ann, telefonista?

CHAMADA: Você notou a data da morte da minha mãe? Porque era no mesmo dia do seu aniversário?

ANN: Isso é minha culpa?

CHAMADA: Tem sido um segredo de família que minha mãe morreu ao dar à luz a você, e você foi colocado para adoção.

ANN (cabelos soltos): Os orfanatos fazem parte de toda a agenda socialista. Pedir nas ruas tem sido tradicionalmente bom o suficiente para os órfãos…

LIGADOR: Isso é tão cruel...

ANN: …e as pessoas adoram adotar lindas garotinhas loiras.

CHRIS: Muitas pessoas protestaram contra algumas das coisas que você escreveu, Ann. Por exemplo, você disse que Mildred Quaker tem um adesivo de pára-choque dizendo: “Estou orgulhoso do meu filho gay assassino em massa”.

ANN: É minha culpa como ela se sente sobre sua família?

TELEFONE: Mamãe não tinha filho.

ANN (usa elástico para fazer rabo de cavalo): Tenho uma palavra para você, querida. Ironia.

CHRIS: Vamos ver se esses jovens têm alguma dúvida.

AN: Boa ideia. Por exemplo, o que eles devem fazer com seus filhos ilegítimos? É claro que a palavra “ilegítimo” é um não-não para os liberais. Acham que é politicamente incorreto. Suponho que gostariam que voltássemos a chamá-los de bastardos. Acho terrível, os liberais chamarem jovens maravilhosos como esses bastardos.

ALUNO: Mas ninguém nos chamou de bastardos.

ANN (arruma o rabo de cavalo sobre o ombro direito): Você tem que agradecer a Dick Cheney por isso.

ALUNO: E por que você chama Hillary Clinton e Monica Lewinski de gordas?

CHRIS: Sim, e Michael Moore ?

ANN (solta o rabo de cavalo): Você acredita na verdade, Chris? Como jornalista?

CHRIS: Sim, mas...

ANN: Bem, então vamos encarar. Você é um porco mesmo. E então os liberais processam os médicos para impedi-los de dar à luz! Pelo menos é uma melhoria. Os liberais costumavam comer bebês. Talvez seja por isso que engordaram tanto.

CHRIS: Certamente, ninguém acredita…

ANN (sacode o cabelo): Nas escolas de esquerda de hoje, eles são ensinados que os bebês nascem como pequenos macacos e evoluem para seres humanos por volta dos seis meses.

CHAMADA: Você não acha que nasceu como um ser humano, Ann?

ANN (deixa o cabelo cair para frente, joga o cabelo para trás com as duas mãos, balança a cabeça): Você está me dizendo que sua própria mãe dormiu com um macaco?