Dra. Stacy L. Smith será a palestrante principal no Segundo Simpósio Anual Ebert, Criando um Ecossistema Inclusivo de Cinema e Mídia

Gostaríamos de convidá-lo para o segundo Chaz e Roger Ebert Simpósio no campus da Universidade de Illinois em Urbana-Champaign, em 27 de setembro. A inclusão e a diversidade no cinema e na mídia serão o foco. Este é um evento patrocinado conjuntamente pelo College of Media e seu reitor, Tracy Sulkin. O simpósio, batizado em parte em homenagem ao meu falecido marido, o crítico de cinema Roger Ebert, apresentará acadêmicos, jornalistas, executivos de publicidade e especialistas em cinema e mídia abordando o presente e o futuro da diversidade no cinema, jornalismo, publicidade e comunicação. A visão de Roger do cinema como ferramenta para gerar empatia entre pessoas de diferentes gêneros, raças, idades, classes ou outras circunstâncias foi nosso ponto de partida. Promover a empatia 'é a coisa mais nobre que bons filmes podem fazer', disse ele. E este tópico é uma expansão dessa ideia. É minha firme convicção que a inclusão e a diversidade afetam não apenas como vemos o mundo, mas como começamos a curá-lo. E assim este simpósio segue nosso primeiro evento do ano passado intitulado ' Empatia pelo universo .' Temos a sorte de ter um painel muito talentoso de convidados de várias disciplinas.

A palestrante principal será a Dra. Stacy L. Smith, fundadora e diretora da Annenberg Inclusion Initiative da University of Southern California, um think tank global que estuda a desigualdade no entretenimento. A pesquisa de Smith examinou a inclusão relacionada a gênero, raça, etnia, orientação sexual e deficiência em filmes, TV, plataformas digitais, indústria da música e crítica cinematográfica. LA Weekly nomeou Smith a pessoa mais influente em Los Angeles em 2015 e o The Hollywood Reporter a nomeou um dos 50 Agentes de Mudança em 2019. Ela discutiu sua pesquisa sobre mulheres e meninas no cinema em um TED Talk de 2016.

O simpósio, intitulado 'Criando um Ecossistema de Mídia e Cinema Inclusivo', abre às 9h no I-Hotel, 1900 S. First Street, Champaign. O evento de dia inteiro é gratuito e aberto ao público, embora a inscrição seja altamente incentivada para reservar um lugar para os painéis de discussão selecionados .



Além do Dr. Smith, temos a sorte de ter o Dr. Nate Kohn, Gordon Quinn , Samantha Sheppard, Allyson Nadia Field, Adrianne Smith, Lincoln Stephens, Julie Turnock, Cáel Keegan, Brian Johnson , Dr. Janice Marie Collins, Abrar Al-Heeti, Ben Holden, Jason Chambers, Shazzia Khan, Ericka Riggs e outros convidados a serem nomeados posteriormente. (Veja a biografia abaixo).

Também estamos patrocinando uma experiência de Realidade Virtual para ajudar a colocar você no lugar de outra pessoa para uma jornada empática visceral. As inscrições começam em 6 de setembro, inscreva-se aqui .

PAINÉIS:

Chaz Ebert, anfitrião e organizador do evento

Chaz Ebert é o CEO da Ebert Digital LLC, que publica o site de críticas de filmes, RogerEbert.com. Ela também produz televisão e filmes na Ebert Productions, e dirige o Ebertfest Film Festival agora em seu 20º ano, onde entrega o Ebert Humanitarian Award a cineastas que exibem uma visão incomumente compassiva do mundo. Seus interesses cívicos incluem programas para ajudar a quebrar o teto de vidro para mulheres e pessoas de cor e fornecer educação e artes para mulheres, crianças e famílias. Por meio da Roger and Chaz Ebert Foundation, ela fornece subsídios para apoiar projetos com fortes temas de justiça social e orienta escritores, cineastas e tecnólogos emergentes com uma visão global para incentivar a empatia, a bondade, a compaixão e o perdão. Como advogada, ela foi nomeada Advogada do Ano pela Constitutional Rights Foundation, é curadora vitalícia do Art Institute e atua nos conselhos da Abraham Lincoln Library Foundation, Lyric Opera, Shirley Ryan Ability Center e After School. Assuntos. Ela também é membro da Alliance of Women Film Journalists, da Chicago Film Critics Association e da African-American Film Critics Association.

Nate Kohn, anfitrião e organizador do evento

Dr. Nate Kohn é professor da Universidade da Geórgia, Diretor Associado do George Foster Peabody Awards, diretor do festival Roger Ebert's Film Festival, diretor do programa MFA da Universidade da Geórgia em roteiro e produtor premiado. Dr. Kohn produziu Zulu Dawn estrelando Burt Lancaster e Peter O'Toole; o longa independente 'Somebodies', que estreou em Sundance (2006); 'Rain', o primeiro longa indígena das Bahamas que estreou em Toronto (2007) e no Showtime (2010); o longa-metragem 'Bottleworld' (2010); foi Produtor Executivo da série de televisão da BET 'Somebodies' (2008); foi Produtor do longa-metragem documentário 'Bayou Maharajah' que estreou no SXSW Festival (2013); produziu o curta-metragem vencedor do Emmy 'Ebertfest 2012'; e foi Produtor Executivo nos 73º, 74º e 75º Prêmios Especiais Anuais Peabody Awards para PivotTV/Participant Media (2014, 2015 e 2016). Ele atuou em júris e orientou roteiristas nos Festivais Internacionais de Cinema de Atlanta, Havaí, Kerala e Bahamas. É autor de inúmeros artigos acadêmicos e do livro Pursuing Hollywood: Seduction, Obsession, Dread (AltaMira Press, 2006).

Dra. Stacy L. Smith, palestrante principal

Stacy L. Smith, Ph.D. é fundador e diretor da USC Annenberg Inclusion Initiative (AII), o principal think tank global que estuda a desigualdade no entretenimento. A pesquisa inovadora do Dr. Smith examina a inclusão (por exemplo, gênero, raça/etnia, comunidade LGBT, pessoas com deficiência e saúde mental) em filmes, TV e plataformas digitais, indústria da música e crítica cinematográfica. Além da pesquisa, o Dr. Smith cria soluções atraentes e inovadoras para a desigualdade no entretenimento. Recentemente, em parceria com a TIME’S UP, Tessa Thompson , e outros, ela lançou o #4percentchallenge. Ela é autora de mais de 100 artigos, capítulos de livros e relatórios, e é coberta regularmente em meios de comunicação populares, incluindo The New York Times, Los Angeles Times, CBS This Morning, NPR e muitos outros. LA Weekly nomeou Dr. Smith a pessoa mais influente em Los Angeles em 2015. Dr. Smith atua na Força-Tarefa da Recording Academy sobre Diversidade e Inclusão após o lançamento do estudo inaugural da Annenberg Inclusion Initiative sobre a indústria da música e é membro do Comitê Executivo de Ela é a música. LA Weekly nomeou Dr. Smith a pessoa mais influente em Los Angeles em 2015. Ela apareceu na lista de mulheres na música de 2018 da Billboard e foi considerada uma das 50 agentes de mudança do The Hollywood Reporter em 2019.

Julie Turnock, moderadora de Diversidade no Cinema

Julie Turnock é Professora Associada e Chefe do Departamento de Atuação de Estudos de Mídia e Cinema da Universidade de Illinois.

Ela obteve seu Ph.D. em Estudos de Mídia e Cinema na Universidade de Chicago em 2008; um M.A. em Cinema e Televisão na Universidade de Amsterdã em 2001; um M.A. em História da Arte na Universidade de Indiana em 1998; e um B. S. em Línguas Modernas na Universidade de Georgetown em 1993.

Suas especialidades de curso incluem História do Cinema, Efeitos Especiais, Estética de Mídia e Introdução à Análise de Cinema.

Allyson Nadia Field, palestrante sobre Diversidade no Cinema

Allyson Nadia Field é Professora Associada de Cinema e Estudos de Mídia da Universidade de Chicago. A bolsa de Field investiga o funcionamento da raça e da representação em contextos interdisciplinares em torno do cinema. Sua pesquisa se concentra no cinema afro-americano, tanto no cinema mudo quanto nas práticas cinematográficas mais contemporâneas, e é unificada por duas amplas indagações teóricas: como o cinema e a mídia visual moldam as percepções de raça e etnia, e como essas mídias foram e podem ser mobilizadas para perpetuar ou desafiar as desigualdades sociais. Seu trabalho é baseado em pesquisas de arquivo sustentadas, integrando esse material com preocupações de forma cinematográfica, teoria da mídia e questões culturais mais amplas de representação. Ela é autora de Uplift Cinema: The Emergence of African American Film & The Possibility of Black Modernity (Duke University Press, 2015). Field também é, com Marsha Gordon, coeditora de Screening Race in American Nontheatrical Film (Duke University Press, 2019) e com Jan-Christopher Horak e Jacqueline Stewart, coeditora de L.A. Rebellion: Creating a New Black Cinema (Universidade de Imprensa da Califórnia, 2015). Seu projeto de livro atual, provisoriamente intitulado Minstrelsy-Vaudeville-Cinema: American Popular Culture and Racialized Performance in Early Film, busca reformular a história do cinema americano através das lentes da performance racializada, traçando o desenvolvimento de tropos, temas e práticas de menestréis ao palco de vaudeville e tela de cinema. Ao fazê-lo, procura tornar legíveis os funcionamentos das formas de menestréis dentro do cinema americano, compreender sua complexidade
negociações de raça em uma ordem social em rápida mudança e explorar momentos de resistência criativa à sua
retratos desumanizantes de afro-americanos. Em apoio a este projeto, Field foi nomeado 2019 Academy Film Scholar pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.

Cáel M. Keegan, palestrante sobre Diversidade no Cinema

Cáel M. Keegan é Professor Assistente de Estudos sobre Mulheres, Gênero e Sexualidade e Estudos Integrativos, Religiosos e Interculturais na Grand Valley State University. Keegan completou um doutorado em Estudos Americanos na Universidade de Buffalo. Sua pesquisa examina a cultura popular queer e transgênero, com ênfase em como as formas de mídia expressam a sensação queer/transgênero. Keegan é autora do livro Lana and Lilly Wachowski: Sensing Transgender (University of Illinois Press, 2018) e também publicou artigos em Genders, Queer Studies in Media and Popular Culture, Transgender Studies Quarterly, Mediekultur, Spectator e Journal of Homossexualidade. Ele é regularmente entrevistado pela mídia sobre questões relacionadas à política, cultura e arte LGBTQ: Keegan aparece no episódio do Vice Guide to Film no “New Trans Cinema” e recentemente apresentou The Matrix para sua exibição de 20º aniversário no TIFF Bell Lightbox em Toronto . Ele também atua como co-presidente do Queer and Trans Caucus da Society for Cinema and Media Studies. Seu projeto de livro atual, The Edge of the Real: Transgender Sensation and Its Forms, examina como a cultura popular de autoria de transgêneros alterou nosso senso comum de “realidade”.

Gordon Quinn, palestrante sobre Diversidade no Cinema

Gordon Quinn, Diretor Artístico e membro fundador da Kartemquin Films, faz documentários há 50 anos. Em seu primeiro filme Home for Life, anunciado como 'um documentário extraordinariamente comovente' de Roger Ebert, ele estabeleceu a direção de sua vida e carreira; narrativa que examina a cultura mais ampla através do desdobramento da vida de pessoas reais.

Os documentários de Gordon incluem 'Taylor Chain', 'The Last Pullman Car', 'Golub', ' Sonhos de argola ,' 'Vietnam', 'Long Time Coming', 'Stevie' e 'The New Americans'. Recentemente, ele dirigiu 'Prisoner of Her Past', 'A Good Man' e ''63 Boycott', que foi indicado ao Oscar . Ele foi EP em ' Os Interruptores ,' ' Os julgamentos de Muhammad Ali ,' ' O Homestretch ,' 'Life Itself', 'America To Me' e filmes indicados ao Oscar, ' Ábaco: Pequeno o suficiente para prender ,' 'Edith e Eddie' e ' Cuidando da brecha .'

Ativista de longa data para a mídia pública e comunitária, Gordon foi parte integrante da criação do ITVS e da Declaração de Melhores Práticas de Uso Justo dos Documentaristas. Quinn colaborou com gerações de diversos cineastas cujos filmes ganharam vários prêmios e impactaram milhões de espectadores.

Samantha N. Sheppard, palestrante sobre Diversidade no Cinema

Samantha N. Sheppard é Professora Assistente Mary Armstrong Meduski '80 no Departamento de Artes Cênicas e de Mídia da Universidade de Cornell. Ela escreve extensivamente sobre questões de raça, gênero e representação no cinema e na mídia. Ela é autora do próximo livro Sporting Blackness: Race, Embodiment, and Critical Muscle Memory on Screen (University of California Press, 2020). É coeditora das antologias From Madea to Media Mogul: Theorizing Tyler Perry (University Press of Mississippi, 2016) e Sporting Realities: Critical Readings on the Sports Documentary (University of Nebraska Press, 2020). Ela publicou ensaios em Film Quarterly, Cinema Journal, Journal of Sport History, Journal of Sport and Social Issues e Black Camera: An International Journal e as antologias L.A. Rebellion: Creating a New Black Cinema (University of California Press, 2015) e Raça e o impulso revolucionário em The Spook Who Sat by the Door (Indiana University Press, 2018). Ela também escreveu para The Atlantic e Los Angeles Review of Books.

Brian Johnson, moderador de Diversidade no Jornalismo

Brian Johnson iniciou sua carreira jornalística como fotojornalista da equipe do The News-Gazette em Champaign e leciona na Universidade desde 1988. O trabalho de Johnson foi publicado no New York Times, Chicago Tribune, Washington Post, USA Today, Newsday e outros.

Johnson foi o editor do livro, C-U em Seven Plus, A Week (mais um pouco mais) na Vida de Champaign-Urbana. Ele ganhou prêmios nos prêmios Horizon Interactive, National Press Photographers Association Pictures of the Year e Telly Awards. Seu projeto multimídia 'This Bond' ganhou o prêmio de Melhor Projeto Criativo do Corpo Docente da Association for Education in Journalism and Mass Communication Visual Communication Division. Seu trabalho atual usa o fotojornalismo como metodologia para documentar o invisível no visto.

Johnson recebeu mais de 60 prêmios nacionais, regionais e estaduais por seu fotojornalismo, multimídia e vídeos. Johnson recebeu reconhecimento por seu ensino, incluindo ser selecionado como bolsista de ensino do vice-chanceler e como membro do corpo docente do ano da Associação de Pais da Universidade de Illinois. Ele foi duas vezes chefe da Divisão de Comunicação Visual da Associação para Educação em Jornalismo e Comunicação de Massa e foi vice-presidente da Associação de Fotógrafos de Imprensa de Illinois. Ele serviu o departamento de jornalismo da Universidade como diretor de estudos de pós-graduação, chefe de departamento associado e como chefe de departamento.

Dra. Janice Marie Collins, palestrante sobre Diversidade no Jornalismo

A Dra. Janice Marie Collins é professora assistente no Departamento de Jornalismo. Ela é uma premiada jornalista, documentarista, editora digital, pesquisadora e acadêmica com mais de 20 anos de experiência na indústria do jornalismo e 16 anos de experiência de ensino em nível universitário. Antes de vir para Illinois, ela ganhou vários prêmios Emmy, Best of Gannett, Associated Press, NABJ e AABJ por roteiro, produção, reportagem, cinematografia e edição enquanto trabalhava no mercado e na rede dos dez melhores. Ela também ganhou vários prêmios por seu trabalho em radiodifusão estudantil na Hampton University e na Eastern Illinois University.

Sua pesquisa, ensino, empreendimentos criativos e engajamentos públicos se cruzam na desmarginalização de indivíduos, espaços de aprendizagem, conteúdo de mídia e estruturas organizacionais. Seu programa de transmissão de televisão e websérie, “A Taste of Gullah”, ganhou o prêmio de Melhor Documentário no International Garifuna Film Festival em Veneza, Califórnia, e sua mais recente série de autoetnografia “Journey to My Mother's Land: Extending the Gate's Effect into Africa”. foi escolhido pela maior plataforma de transmissão da África, a Nigerian Television Authority (NTA), e transmitido digitalmente para o Reino Unido, EUA, Canadá e toda a África. A proeminente ativista e educadora antirracismo, Jane Elliott, descreveu sua primeira publicação de livro, 250 Anos e Ainda Escrava: Libertando-se com Empoderamento Centralizado Ativo, como “uma ótima leitura!” e “deveria ser leitura obrigatória para todos os professores na sala de aula”. Seu segundo livro, Active Centralized Empowerment (A.C.E.): Teaching without Borders, agora sob contrato, apresenta uma pedagogia crítica para inclusão e empoderamento que ela vem desenvolvendo há mais de 14 anos. Ela também está completando um artigo multimídia/online sobre sua recente viagem de volta a Serra Leoa, África Ocidental, Accra, Gana e Abuja, Nigéria, onde conversou com crianças sobreviventes do ataque do Boko Haram que agora vivem em um campo de deslocados internos.

Janice recebeu o Prêmio Nacional de Desenvolvimento Docente Baskett Mosse e conquistou o segundo lugar
na competição nacional para “Best in Digital” para seu site de inclusão-Hearmyvoiceonline.com (AEJMC
2017), primeiro lugar no Top Faculty Paper Competition na National BEA Conference como, ambos, coautor e único autor de estudos quantitativos por dois anos consecutivos, é Kopenhaver Fellow e Presidente da African International Documentary Festival Foundation com sede em Abuja , Nigéria e Champaign, Illinois. Como facilitadora profissional convidada no Laboratório de Inovação Global UnLeash2019 em Shenzhen, China, ela orientará uma equipe de contadores de histórias para produzir histórias para ajudar a cumprir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas. Janice ministra cursos de transmissão e multimídia, bem como um curso interdisciplinar especializado em liderança, inclusão e desmarginalização para publicação digital e foi introduzida no Hall da Fama das Lendas do Basquete Feminino da ACC pela Wake Forest University.

Abrar Al-Heeti, palestrante sobre Diversidade no Jornalismo

Abrar Al-Heeti é repórter da equipe de cultura da CNET. Nascida e criada em Champaign, ela se formou na Universidade de Illinois em Urbana-Champaign com bacharelado e mestrado em jornalismo. Enquanto estava na escola, ela trabalhou para o The Daily Illini e o Center for Power Optimization of Electro-Thermal Systems, e foi estagiária na Illinois Public Media e The News-Gazette.

Em sua função atual na CNET, Abrar cobre tudo, desde notícias de última hora até a cultura do Vale do Silício e tendências de mídia social. Ela trabalha em São Francisco.

Ben Holden, palestrante sobre Diversidade no Jornalismo

Ben Holden ensina direito de mídia e reportagem no Departamento de Jornalismo da Universidade de Illinois/Faculdade de Mídia Urbana-Champaign e é membro do corpo docente visitante do National Judicial College em Reno, Nevada. Ele foi anteriormente professor associado e diretor do Reynolds National Center for Courts & Media da Universidade de Nevada, Reno (UNR). O Centro é um afiliado do National Judicial College no campus da UNR. O trabalho de consultoria de mídia do Sr. Holdens inclui atribuições na ex-Iugoslávia (Kosovo) em nome da Organização para Segurança e Cooperação na Europa e do Departamento de Estado dos EUA para ajudar juízes, jornalistas e oficiais de informação pública no desenvolvimento de cobertura profissional da imprensa sobre os tribunais. Anteriormente, ele exerceu a advocacia no escritório de advocacia de mídia da Bay Area Cooper, White & Cooper e foi editor-chefe do Columbus Ledger-Enquirer em Columbus, Geórgia, um jornal McClatchy. Ele passou sua carreira de repórter diário no The Wall Street Journal, onde acabou sendo o correspondente nacional de serviços públicos do Journals.

Jason Chambers, moderador de Diversidade em Publicidade

O histórico de pesquisa e as ofertas de cursos de Chambers são todos baseados na história. Atualmente leciona uma seção de um curso de história da publicidade, bem como um curso sobre os fundamentos da publicidade. Ele também criou um curso que examina o uso de raça e etnia na publicidade.

Chambers apresentou sua pesquisa sobre o mercado consumidor afro-americano tanto nacional quanto internacionalmente. Seu trabalho foi publicado em livros e revistas nos Estados Unidos, Ásia e Europa. Ele foi convidado para falar em encontros de profissionais e acadêmicos nos Estados Unidos, Canadá e Ásia. Ele também apareceu no The History Channel discutindo questões de publicidade, e suas opiniões foram procuradas por uma variedade de periódicos, incluindo as revistas Forbes e Black Enterprise. Chambers também atuou como consultor em programas de história da publicidade que aparecem na BBC. Além disso, ele consultou organizações nacionais sem fins lucrativos e empresas da Fortune 100, bem como agências de publicidade em questões de diversidade, estereótipos e várias questões de consumo.

A University of Pennsylvania Press publicou seu primeiro livro, “Madison Avenue and the Color Line: African Americans in the Advertising Industry”, no início de 2008. Este trabalho penetrante examina o emprego e as experiências empreendedoras de negros no setor de publicidade e sua luta para diversificar tanto a indústria como a publicidade.

Shazzia Khan, palestrante sobre Diversidade em Publicidade

Shazzia está há anos na Havas Health and You há 15 anos, ela foi nomeada Global Chief of Staff da organização em 2015. Nessa função, ela supervisiona todos os esforços de RH, treinamento e desenvolvimento e responsabilidade social corporativa em todo o mundo. Além disso, ela faz parceria com o CEO global da empresa em projetos e iniciativas especiais.

Ela obteve seu BBA na Hofstra University, continuou sua educação na New York University e começou a subir na hierarquia do mundo da publicidade de Nova York logo após a faculdade. Antes de ingressar na Havas Health and You – e na área de Gestão de Talentos – em 2004, ela trabalhou com as principais agências de publicidade na área de gerenciamento de contas, aprimorando suas habilidades em várias grandes marcas, principalmente Maxwell House Coffee (Ogilvy & Mather), Snapple ( Deutsch) e Jockey International (cinza). Durante esse período, ela também adquiriu ampla experiência em desenvolvimento de novos produtos e lançamento global.

Shazzia também é voluntária da organização Developments in Literacy (DIL), que constrói escolas para meninas em áreas rurais do Paquistão, e é membro do Conselho da NAACP.

Ericka Riggs, palestrante sobre Diversidade em Publicidade

O estado de espírito natural de Ericka Riggs é curioso – seu desejo de ver e explorar o mundo vem de sua infância passada como cigana corporativa. A família de Ericka se mudava constantemente a cada três ou quatro anos, movendo-se pelo país, do Texas para Nova York, ela frequentou mais de cinco escolas primárias e duas escolas secundárias, concluindo o ensino médio em Paoli, PA., essas experiências expandiram as visões e entendimentos de Ericka sobre o mundo, e ela aplica essa mentalidade aventureira à sua vida sempre que possível.

Em sua vida profissional, Ericka é arquiteta e empresária em partes iguais, assumindo continuamente funções que exigem muito trabalho braçal e construção de programas a partir do zero. Em setembro de 2016, Ericka ingressou no AD Club de NY, atualmente ela é a Diretora de Fundação e Inclusão - uma função na qual ela está defendendo ativamente, gerenciando e desenvolvendo programas de pipeline de talentos, esforços de alcance da diversidade e experiências culturalmente inclusivas para a publicidade , marketing e comunidade de mídia.

Adrianne Smith, palestrante sobre Diversidade em Publicidade

Adrianne é a fundadora e visionária do Can: Diversity Collective, uma organização sem fins lucrativos criada para fornecer acesso e exposição a jovens de cor e comunidades sub-representadas para conferências globais de liderança de pensamento sobre publicidade, marketing, criatividade, economia, inovação e tecnologia. Em 2017, ela lançou a primeira iteração do Diversity Collective, o Cannes Can: Diversity Collective (CC:DC), que oferece a estrelas em ascensão na indústria publicitária e criativa a oportunidade de participar e participar do Cannes Lions International Festival of Creativity. Em 2019, ela fez história ao criar a primeira Praia Igualdade, Diversidade e Inclusão autônoma nos 66 anos de existência do festival. Cannes Lions é onde o melhor trabalho criativo do mundo é julgado com os mais altos padrões.

Com mais de 20 anos de experiência na indústria e advocacia, incluindo seu trabalho como Diretora Executiva do Centro de Excelência em Publicidade da Howard University, Adrianne ajudou muitas pessoas a atingir suas metas pessoais de carreira e organizações a atingir suas metas corporativas estratégicas. Seus programas de treinamento e desenvolvimento foram o catalisador para o sucesso de vários executivos de publicidade. Os graduados treinados em seu programa receberam vários prêmios e elogios, incluindo prêmios Cannes Lion.

A carreira de Adrianne baseou-se principalmente em tornar o invisível visível, criando oportunidades para comunidades sub-representadas. Ela criou e produziu documentários e programas de televisão, além de participar da equipe de lançamento de uma rede de subtelevisão digital. Além de seu trabalho de advocacia, Adrianne é fundadora do Vision Corps Media Group (VCMG), uma empresa de incubação de mídia desenvolvida para criar novos conteúdos para meios de comunicação atuais e emergentes.

Lincoln Stephens, palestrante sobre Diversidade em Publicidade

Lincoln Stephens é um f ou Publicidade Executivo de gestão de contas (TracyLocke, Martin Retail, Carol H Williams Publicidade , TPN e Moroch) virou defensora da educação e empreendedora social. Em sua trajetória profissional, Stephens trabalhou com grandes marcas como Frito Lay, Quaker, Pepsi, Cadillac, Hummer, Chevrolet, Western Union, Coca-Cola, McDonalds, Lexus e Moet Hennessy USA.

Em novembro de 2008, ele decidiu deixar o emprego para seguir sua paixão pela orientação e co-fundou uma organização sem fins lucrativos chamada Marcus Graham Project. A organização que está focada em trazer mais diversidade para a indústria de publicidade por meio de orientação, exposição e desenvolvimento de carreira, foi destaque na Advertising Age, Black Enterprise Magazine, Savoy Magazine e na CNN e NBC.

Além disso, Lincoln foi aclamado como um dos 40 principais líderes de marketing da Advertising Age com menos de 40 anos, os principais empreendedores com menos de 34 anos da Ebony Magazine, o prêmio de líder de negócios minoritários do Dallas Business Journal, AT&T Game Changer, Adweek Rising Star Brand e homenageado com a University of Missouri School da Medalha de Honra do Jornalismo por Serviços Distintos na Indústria da Mídia.

Gregório Nava , convidado especial do Mês da Herança Hispânica Nacional

O escritor/produtor/diretor Gregory Nava foi indicado ao Oscar, ao Globo de Ouro, ao Emmy e ao Writer's Guild Award. Seus filmes foram selecionados e homenageados em muitos festivais de cinema, incluindo Cannes, Sundance, Berlim, Telluride, San Sebastian, Edimburgo, Chicago e Montreal. Nava se tornou um cineasta de renome internacional com seu filme indicado ao Oscar ' O norte ' pelo qual ele recebeu uma indicação ao Oscar de Melhor Roteiro Original, bem como uma indicação ao Writer's Guild of America Award.

O crítico Roger Ebert chamou 'El Norte', que aborda a situação dos imigrantes ilegais, ''As Vinhas da Ira' do nosso tempo'. 'El Norte' foi nomeado um 'Clássico Americano' e designado para preservação especial pela Biblioteca do Congresso. Nava continuou dirigindo uma série de filmes latinos inovadores, dirigindo e co-escrevendo a saga multigeracional 'My Family/Mi Familia', que estrelou Jennifer Lopez em seu primeiro papel no cinema. Nava passou a escrever e dirigir o sucesso de bilheteria ' Selena ' baseado na história da vida real da superestrela cantora e criou o papel de destaque definitivo para Jennifer Lopez, ganhando-lhe uma indicação ao Globo de Ouro. Nava então dirigiu o filme biográfico musical 'Why Do Fools Fall In Love', estrelado por Halle Berry .

Nava co-escreveu o roteiro do filme indicado ao Oscar ' Frida ,' estrelado por Selma Hayek. Nava então escreveu, dirigiu e produziu o thriller político 'Bordertown', estrelado por Jennifer Lopez e Antonio Banderas . 'Bordertown' foi indicado ao Urso de Ouro no Festival de Cinema de Berlim e ganhou o prêmio 'Artista pela Anistia' da Anistia Internacional. Na televisão, Nava foi indicada ao Emmy e ao Globo de Ouro como Criadora e Produtora Executiva de 'American Family', a primeira série dramática latina na história da televisão aberta. Nava recebeu suas indicações ao Emmy e ao Globo de Ouro na categoria 'Excelente Minissérie'.

Atualmente Nava está programado para dirigir 'Gates of Eden', um épico arrebatador da situação atual na fronteira. Nava também tem em desenvolvimento 'The Magnificent Mendez' - a história inspiradora de Rafael Mendez, que saiu da pobreza no México para se tornar o maior trompetista do mundo. Além de suas indicações ao Oscar, Emmy e Globo de Ouro, Nava recebeu cinco prêmios Imagen – três prêmios Alma – o Hispanic Heritage Award for the Arts no Kennedy Center em Washington DC – The National Hispanic Heritage Foundation raul julia Award for Excellence – o Latino Spirit Award do Estado da Califórnia e o Lifetime Achievement Awards do National Council of La Raza e da Imagen Foundation.

Laura Rodrigues, Convidado especial do Mês do Patrimônio Hispânico Nacional

Laura Rodríguez é jornalista multimídia bilíngue e produtora do HOY, jornal em espanhol do Chicago Tribune. Por quase quatro anos, Rodríguez se concentrou em expor as histórias muitas vezes não contadas e convincentes da comunidade latina na área de Chicago e além.

O seu trabalho vai desde peças de interesse humano, entretenimento, até um pouco de política e histórias de última hora. Laura pretende escrever peças que transcendam as barreiras de idioma, raça, idade e gênero. Ela foi premiada com o Chicago Tribune Beck Award por excelente desempenho profissional para HOY em 2018.

Nascida e criada em Guanajuato, México, graduada pelo Depaul, Laura é fanática por mariachis e amante da música country. Ela escreve mais do que cozinha e gosta de um copo de rosé na maioria das noites de quinta-feira.

Para mais informações, visite o site oficial da Universidade de Illinois.